Aulas em Cuiabá começam dia 8 e secretária não confirma ensino presencial

Edilene reforçou que a decisão de retorno das atividades presenciais será decidida pelo prefeito com dados do comitê de enfrentamento

A secretária de Educação de Cuiabá, Edilene de Souza, não confirmou o retorno das atividades presenciais com a retomada das aulas da rede municipal no início de fevereiro. Edilene reforçou que essa é uma decisão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), após análise dos dados obtidos pelo Comitê de Enfrentamento a covid-19 da prefeitura.

“Quem vai falar o dia que as atividades presenciais vão retornar é a saúde, o prefeito tem o comitê de combate a covid-19, ele ouve bastante, eles vão passar os índices, e é o prefeito que vai decidir essa retomada. Porém nós já estamos programados, mesmo que remotamente, dia 8 de fevereiro para início das atividades”, pontua.

A fala da secretária sobre o retorno presencial das aulas em Cuiabá foi feita nesta segunda-feira (18.01), durante a coletiva de imprensa para a divulgação do Plano Municipal de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

Edilene ainda reforçou que, caso o prefeito decida pelo retorno presencial, a rede está preparada para realizar com segurança. “Nós adquirimos desde o ano passado todos os produtos de biossegurança, tapete sanitizante, dispenser de álcool, máscaras, então estamos preparados para o que der e vier”, completa.

Escolas Particulares

Em relação ao retorno das atividades presenciais nas escolas particulares em Cuiabá, a secretária Edilene disse que segue o mesmo critério da rede pública, quem decide é o prefeito Emanuel Pinheiro.

“Todos nós estamos preparados, tanto publica quanto privada, porem nós temos um comitê de enfrentamento e não é a educação que vai definir é a saúde. Então a decisão é do comitê e do prefeito e acredito que até quarta-feira será decidido”, pontua.

No último domingo (17.01), pais de alunos matriculados em escolas particulares, realizaram uma carreata nas ruas de Cuiabá em que pediam a reabertura às escolas com aulas presenciais ou com sistema híbrido.

Edilene finalizou se colocando à disposição para conversar com a comissão dos pais. “Em relação aos pais dos alunos das escolas particulares, eu não fui procurada, nem o prefeito, então se eles tiverem uma comissão e nos procurarem eu atenderei”, finaliza.

Leia também

Deixe seu comentário!