Exportação cresce 26% no primeiro semestre de 2021 em comparação com 2020

Nós conversamos com o Antonio Lorenzi que é supervisor do Centro Internacional da FIEMT

O valor arrecadado pelo estado com exportações aumentou 26% entre janeiro e junho deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado, conforme dados da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

No primeiro semestre de 2021, Mato Grosso exportou US$ 12,6 bilhões, o que equivale a R$ 65,9 bilhões na cotação atual.

Nós conversamos com o Antonio Lorenzi que é supervisor do Centro Internacional da Federação das Indústrias do estado de Mato Grosso (Fiemt) e a pauta foram os dados da importação e exportação do estado no primeiro semestre de 2021.

O que levou a esse dado positivo?

A gente tem apresentado um crescente durante 2021 e alguns produtos são os mais responsáveis por essa crescente. Nós tivemos uma grande exportação de soja, em receita teve um valor muito maior do que o ano passado porque o valor das commodities cresceu bastante. Mas nesse mês de agosto a gente teve um aumento expressivo de exportação de carne bovina. A gente teve um aumento também em exportação de milho, algodão teve uma queda, mas no total ele corresponde aos números expressivos em geral.

E quais são os dados positivos para a importação?

Mato Grosso não é um estado tão forte em importações como em exportações. A gente já teve durante um ano a 3ª posição de exportação, atualmente no acumulado estamos em 5º acumulados em 2021. Se a gente for olhar as importações estamos lá atrás. Isso ocorre porque não fazemos importação direta. Acontece que esse mês nós ultrapassamos números que nunca tivemos, com produtos agrícolas e gás natural que importado diretamente da Bolívia, que foram responsáveis por esse aumento. É um valor recorde para as nossas importações.

Esses números crescentes mostram que estamos passando pela pandemia de forma melhor?

Sim. Mato Grosso é um estado do país e digamos que está acima da média nacional. Isso mostra que o estado superou. Mesmo na pandemia, existem muitos produtos que são demandados e por isso os números crescem. A gente teve crescimentos tanto no ano passado, esse ano nós tivemos até crescimentos que são essenciais, como alimentos. A gente precisa se alimentar e precisa desses produtos, a quantidade diminuiu, mas a receita aumentou. A pandemia deixou mais escasso a produção e isso fez com que a gente exportasse a mesma quantidade, mas com preço maior.

Em relação a carne bovina e o caso de vaca louca? Vai ter reflexos?

Esse caso específico dessa enfermidade a gente não tenha os reflexos desse caso, provavelmente nós teremos reflexo disso no próximo mês. E com esses números nós podemos ter uma baixa de números. Como o acontecido foi muito recente a ente ainda não tenha esses reflexos, mas temos a certeza de que vamos superar essa adversidade.

Leia também

Deixe seu comentário!